Portal do Agro
Artigos Colunistas Destaque

SOLIDARIEDADE E UNIÃO DA POPULAÇÃO CONTRAPÕE A INCAPACIDADE DO GOVERNO FEDERAL PARA ENFRENTAR A PRIMEIRA SEMANA DE TRAGÉDIA NO RIO GRANDE DO SUL

A tragédia com as enchentes no Rio Grande do Sul impactou comunidades urbanas e rurais das mais diversas formas. Os números de perdas de vidas, propriedades e animais aumentam a cada dia e a tragédia supera todos os números anteriores. As preocupações com os desdobramentos aumentam com o avançar dos dias, pois além das chuvas não cessarem, as previsões climáticas já apontam a diminuição da temperatura para os próximos dias.

As cenas de destruição nas cidades tem sido divulgadas todos os dias, em todas as mídias; porém, outra tragédia gigantesca tem se descortinado silenciosamente na área rural. Centenas de cabeças de gado, ovelhas e outros animais foram levados ou morreram pelas águas e pela lama, carcaças são encontradas nos pastos e nas estradas e equipes de resgate formadas por voluntários, empresários rurais e organizações de proteção animal têm unido esforços para uma ação o mais rápido possível para salvar os animais.

Abrigos temporários para os animais resgatados foram criados, e alí os animais recebem os cuidados, alimento e segurança para esse momento. Médicos veterinários, zootecnistas, biólogos e outros profissionais trabalharam incansavelmente para garantir que cada animal receba a atenção mínima para a sua sobrevivência. Essas ações têm contado com o apoio da iniciativa privada, da indústria, revendas e distribuição veterinária para poderem atender minimamente esses animais em suas necessidades.

Correntes de doações de silagem, feno e ração foram organizadas e produtores de toda a região sul, São Paulo, Minas Gerais, Goiás e outros estados estão enviando alimentos para a manutenção mínima de bovinos, ovinos e suínos que estão sem alimentos nas regiões afetadas e se não forem rapidamente atendidos poderão também vir a óbito.

Enquanto helicópteros sobrevoam áreas inundadas à procura de animais em risco,  grupos com barcos recebem a localização e cordas, muita coragem e técnica se esforçam para alcançá-los. A determinação e coragem dos voluntários é algo admirável e tem feito as autoridades passarem vergonha frente a letargia e total despreparo para enfrentar uma catástrofe dessa natureza.

Os governos de alguns estados são o ponto fora da curva frente a inação do Governo Federal. Governadores de diversos estados, como Santa Catarina, Paraná, Goiás, Mato Grosso e Minas Gerais e São Paulo se mobilizaram já nas primeiras horas de anunciada a catástrofe e enviaram homens e equipamentos em apoio ao Rio Grande do Sul. Já a União mostrou uma total falta de preparo e coordenação; com ministros anunciando o não envio de recursos por não demanda dos prefeitos, órgãos federais (ANTT) parando e multando caminhões de donativos por excesso de peso, ministros dizendo que minorias seriam priorizadas e o presidente dizendo que está torcendo pelo Grêmio e pelo Internacional; um verdadeiro show de horrores e de incompetência em meio a uma tragédia que carece de agilidade e ação, e não de palanque para políticos.

Que o Rio Grande do Sul “siga mostrando valor e constância nessa ímpia e injusta guerra. Que sirvam suas façanhas de modelo toda terra.” De modelo a todos nós brasileiros que com o povo gaúcho está irmanado para superarmos essa tragédia. Sigamos firmes em nossas orações pelo povo gaúcho, mas também firmes no envio de donativos, recursos e buscando, nos mercados, adquirir produtos produzidos no Rio Grande do Sul , afinal; quando a água baixar eles precisarão retomar à vida naquilo que a nova normalidade permitir.

DEIXE SEU COMENTÁRIO ABAIXO:

Publicações Relacionadas

Projeto de composteira híbrida criado por estudantes do Amapá recebe prêmio no RS

Redação Portal do Agro

Falando pela CNA, economista defende a reestruturação da política agrícola do país

Redação Portal do Agro

Amapá reforça estratégia sanitária para o combate à mosca-da-carambola

Redação Portal do Agro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Nós vamos assumir que você está bem com isso, mas você pode optar por sair se quiser. Aceitar Ler mais

Política de Privacidade & Cookies