Portal do Agro
Com o investimento, o Porto de Santana passa a ter potencial de se transformar num dos principais portos Norte e desafogar rotas ao Brasil.
Destaque

Terminal privado de contêineres no Amapá abre nova rota de comércio para o Brasil

Cleber Barbosa, da Redação

O município de Santana vai receber nos próximos dias o primeiro terminal privado de contêineres do Amapá, administrado pela TECONAP S/A, podendo viabilizar rotas marítimas internacionais através do Porto de Santana. O terminal vai ter capacidade para armazenar e escoar mercadorias no estado. O Amapá era o único estado do país com Porto em Zona Primária, que não operava no mercado de contêineres. Com a chegada da TECONAP S/A, o estado volta ao circuito de operação da atividade, que movimenta em torno de 10 milhões de contêineres por ano.

Em setembro de 2021, a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ), conferiu à TECONAP S/A a concessão para construir e operar um novo terminal de contêiner alfandegado na poligonal organizada no Porto de Santana. A TECONAP S/A possui cadastro como operador portuário junto à Companhia Docas de Santana (CDSA), enquanto autoridade portuária competente, possui cadastro no Comex como agente desconsolidador de empresa de navegação estrangeira e está em vias finais no processo de alfandegamento junto à Receita Federal.

Com previsão para início das operações no mês de maio de 2022, a TECONAP S/A vai operar com capacidade inicial para 3.000 contêineres por mês. Além da grande vantagem geográfica do Porto de Santana, o novo terminal de contêineres será competitivo no cenário nacional, porque os grandes portos do país operaram com capacidade elevada, o que tarda o período entre a chegada do navio e o efetivo descarregamento e desembaraço das mercadorias, problema já contornado com a construção do novo terminal de contêineres, com capacidade para liberação da mercadoria em poucas horas.

A TECONAP S/A possui um pátio de 18.000 m2 com capacidade para armazenar 1.300 containers estáticos, além de um armazém para cargas fracionadas com 1.500m2. Nossa estrutura conta também com escritórios administrativo, Receita Federal, Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e Polícia Federal. Contamos com o mais moderno sistema de monitoramento, controle de acesso e tecnologia da informação do estado, além de cães que farejam drogas, armamentos e explosivos treinados pela Unidade K9 Internacional.

Mercados

Com o investimento, haverá geração de riqueza, empregos e desenvolvimento sustentável para todo o arco norte.

Com o terminal, novas oportunidades surgirão para o estado. O Amapá é um forte exportador de produtos não conteinerizados, recebendo aproximadamente 10.000 caminhões por mês com produtos destinados ao consumo interno e à exportação. Porém, esses caminhões voltam ao ponto de origem vazios, já que atualmente não há demanda para enviar produtos do norte do país, ao sul e sudeste do Brasil. Agora com o novo Terminal de Contêineres do Estado do Amapá, esses caminhões poderão ser utilizados para escoar os produtos que chegarão através do Porto de Santana, gerando novas oportunidades de negócio, emprego e renda para o estado do Amapá.

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO ABAIXO:

Publicações Relacionadas

Amapá livre da aftosa aumenta competitividade da carne local, diz presidente da DIAGRO

Redação Portal do Agro

Chefe da Embrapa no Amapá destaca os profissionais do campo no Dia do Extensionista Rural

Redação Portal do Agro

Novo presidente da Aprosoja-AP debate no rádio futuro do agronegócio no Amapá

Redação Portal do Agro