Portal do Agro
DCIM100MEDIADJI_0020.JPG
Artigos Colunistas Destaque

É MUITO FÁCIL SER AMBIENTALISTA EM PARIS

Mesmo sendo mentor de executivos nas áreas estratégica, comunicação, formação e gestão de equipes, vez ou outra eu também busco os meus mentores para auxiliarem no meu desenvolvimento pessoal em temas específicos. Um mentor é escolhido pelo seu histórico profissional, pelos seus feitos e por sua capacidade de transmitir seus ensinamentos aos seus mentorados. Já pensou um perna-de-pau, como eu, querendo orientar o Ronaldinho Gaúcho a como bater um pênalti ou realizar um drible?

O ridículo de eu me arvorar a ensinar o Bruxo jogar bola é tal qual alguns países que insistem em ditar regras e dar conselhos sobre meio ambiente a um país que mantém 66,3% do seu território coberto por floresta. Quanto preserva a França, cujo jornal publicou nessa semana uma matéria dizendo que o agronegócio está destruindo as florestas brasileiras?

É importante lembrar que o Brasil tem um dos códigos florestais mais rigorosos do mundo e foi recentemente atualizado sob a liderança do na época Deputado Aldo Rebelo, com um texto moderno e super atualizado. Em nenhum outro país se preserva tanto, em nenhum outro país o agronegócio tem uma fatia tão grande de áreas preservadas. Em nenhum outro país, artistas e famosos que vivem na cidade ganham tanto dinheiro falando mal do agronegócio, fazendo foto com indígenas e voltando para seus apartamentos nas cidades grandes curtir seu conforto. E não se espante se os prédios desses apartamentos despejarem o escoto sem tratamento no mar ou nos rios próximos.

É muito fácil ser ambientalista em Paris, Copacabana ou no Morumbi e ganhar dinheiro patrocinando o atraso dessas regiões que preservam, produzem e ainda tem que lidar com a desinformação de quem nada produz! Ser ambientalista em País é fácil, quero ver viver, produzir e preservar em Macapá, Ji-Paraná, Altamira,  Marabá, São Felix do Araguaia e outros rincões brasileiros. Rincões esses onde quem lá mora pode se banhar os rios que circundam as cidades. Será que esses ambientalistas tem coragem de sair de seus apartamentos e nadarem no rio mais próximo às suas casas?

DEIXE SEU COMENTÁRIO ABAIXO:

Publicações Relacionadas

Cerimônia marca retomada do processo de regularização fundiária do Amapá

Redação Portal do Agro

ARCO NORTE: UMA JANELA PARA O MUNDO ATRAVÉS DO AMAPÁ

Juan Monteiro

Como o trigo e derivados movimentam uma vida saudável?

Cleber Barbosa

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Nós vamos assumir que você está bem com isso, mas você pode optar por sair se quiser. Aceitar Ler mais

Política de Privacidade & Cookies