Portal do Agro
Palavras do Presidente da República, Jair Bolsonaro, durante encontro com a FPA | Foto: Marcos Corrêa/PR
Destaque Notícias

Bolsonaro debate apoio ao campo com a bancada da Frente Parlamentar da Agropecuária

O presidente da República, Jair Bolsonaro, recebeu, no Palácio do Planalto, a Bancada da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), acompanhado dos ministros da Agricultura, Tereza Cristina, da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, e da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos. Durante o encontro, Bolsonaro elogiou a atuação da ministra da Agricultura, principalmente nas viagens ao Oriente Médio, no ano passado, e falou sobre a atuação do governo no setor. “Temos cada vez mais interesse que o homem do campo produza, sem que ele seja prejudicado pelo Poder Executivo”, afirmou o presidente. E complementou. “Tem que haver um equilíbrio entre produção e meio ambiente.”

Na ocasião, a ministra Tereza Cristina comemorou a aprovação, pelo plenário da Câmara dos Deputados, do texto-base da medida provisória 897 de 2019, a chamada de MP do Agro, na última terça-feira (11). 

Pauta

Garantir acesso à renda, tecnologia e assistência técnica para os produtores rurais no país e a possibilidade de os indígenas explorarem economicamente suas terras com atividades como agricultura, pecuária, foi para a Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA)  o principal mote para o encontro. 

O presidente FPA, deputado Alceu Moreira (MDB-RS), ressaltou que a medida é importante para legalizar atividades que, na prática, já existem. “Só vai produzir na propriedade o índio que quiser produzir. Mas não tem sentido ele ter 1,311 milhão de hectares como a etnia Parecis, no Mato Grosso, do outro lado tem uma propriedade de 70 mil, 80 mil hectares em que o proprietário vai muito bem, obrigado, e naquela população indígena, o cidadão ter que fazer balaio”, argumentou.

Moreira afirmou que é preciso dar condições de escolha aos índios no Brasil. “Não há nenhuma legislação obrigando comunidade indígena a fazer qualquer coisa na sua propriedade. Se o indígena não quiser, ele não faz, se ele quiser continuar vivendo do extrativismo, da caça e pesca, nada interferi nesse projeto de lei,” explicou.

O parlamentar ressaltou ainda que será criada uma comissão no Congresso Nacional para “desmistificar” o debate relacionado à produção agropecuária em terras indígenas. Segundo Alceu Moreira, tudo o que for feito nessas áreas deve estar de acordo com a lei. E, citando convenção da Organização Internacional do Trabalho (OIT), acrescentou que o indígena tem o direito de fazer o que ele quiser em suas terras.

Mais recursos para o Agro

Com mais 250 deputados e 40 senadores na bancada, Moreira defendeu também mais investimento para extensão e assistência técnica ao produtor rural. “Um país que se predispõe a ter como um eixo fundamental de sua economia o agro não pode deixar de representar no orçamento assistência técnica e extensão rural, pesquisa e inovação e defesa sanitária. São eixos da garantia da sustentabilidade na produção. Se não está no orçamento, alguém que trabalhou o orçamento não deu a importância devida”, disse o presidente da FPA.

Alceu Moreira ressaltou que não é justo uma instituição como a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) ter problemas orçamentários enquanto o Brasil tem necessidade de melhorar a sua comunicação científica. “Podemos exigir tudo da Embrapa. O que não podemos é tirar o seu recurso porque ela como instituição de pesquisa é a mais importante nacional e internacionalmente”, afirmou o parlamentar.

No fim do ano passado, só na Embrapa, o corte foi de quase metade do que foi destinado em 2019 – a proposta orçamentária do governo destina R$ 1,982 bilhão à estatal em 2020, redução de R$ 1,732 bilhão sobre o valor aprovado para o ano passado, de R$ 3,634 bilhões.

De acordo com o líder da bancada, a ministra da Agricultura marcou um encontro com o colega da Economia, Paulo Guedes, para discutir a questão. “O Orçamento agora está na mão da Câmara, na mão do Congresso. Temos que articular para conseguir os recursos necessários”, disse.

O encontro da FPA com o Jair Bolsonaro deu sequência a outro, realizado no ano passado, em que foram discutidos assuntos relacionados ao agronegócio e questões políticas. A pauta específica do setor incluiu questões como endividamento rural, demarcação de terras indígenas, tecnologia no campo e mais recursos para o setor, principalmente nas áreas de pesquisa, defesa e assistência técnica.

Ao final do encontro, o presidente Bolsonaro destacou  aos representantes da FPA a importância do envolvimento da bancada na aprovação do projeto que regulamenta a mineração, produção de petróleo, gás e geração de energia elétrica em terras indígenas (PL 191/2020) no Congresso Nacional.

 
DEIXE SEU COMENTÁRIO ABAIXO:

Publicações Relacionadas

Agrofloresta muda relação com a natureza e aumenta renda de famílias

Cleber Barbosa

Estudantes do curso técnico em agronegócio participam de seminário de comércio exterior

Redação Portal do Agro

Feiras continuam em funcionamento com decreto de isolamento social mais rígido

Redação Portal do Agro