Portal do Agro
Especialista explica a tecnologia por trás do catalisador SCR corrugado à base de vanádio
Notícias

Máquinas agrícolas também devem atender limites de emissões

As máquinas agrícolas, assim como as de construção (rodoviárias), precisam atender aos limites de emissões do PROCONVE MAR-1 que exige, além de modificações nos motores, a utilização de diesel com teor de enxofre reduzido. Com a mudança, a redução da poluição de material particulado da fase MAR-1 pode chegar a 85% e a de NOx até 75% se comparada com motores não certificados ou não regulamentados.

Segundo a Anfavea, a produção de máquinas agrícolas e rodoviárias atingiu o número de 38.047 mil unidades entre janeiro e outubro de 2020. Comparado ao número de autoveículos, que ultrapassa a marca de 1,5 milhão de unidades no mesmo período, pode não parecer muito, mas ainda assim o uso de catalisadores de acordo com a legislação é parte importante nos ganhos ambientais para a sociedade.

“O catalisador de máquinas agrícolas, assim como motocicletas e automóveis, é uma das medidas essenciais para a diminuição dos gases poluentes na atmosfera, já que praticamente neutraliza a geração de óxidos de nitrogênio (NOx)”, afirma Almir Ribeiro, gerente de Negócios da Umicore e especialista em tecnologias para redução de emissões em fontes fixas.

Catalisador SCR para máquinas agrícolas

Para que as novas máquinas possam atender aos limites de emissões da fase MAR-1, uma das tecnologias empregadas é a Redução Catalítica Seletiva ou Selective Catalityc Reduction (SCR), em inglês.

Nesta alternativa, o reagente líquido Arla 32 é pulverizado no gás de escapamento, ocorrendo uma reação química no catalisador que praticamente neutraliza a geração de NOx. Nos casos da utilização do SCR, pode haver um mecanismo de avaliação conhecido como OBD (On-Board Diagnose), que identifica a presença do Arla 32 e registra as falhas causadas pelo não uso do reagente. O OBD também poderá reduzir a potência do motor no caso de falta de Arla 32, além de alertar o operador por meio de luzes indicadoras no painel. Quanto ao material particulado (MP), esse poluente é reduzido no próprio motor durante a combustão.

“A Umicore produz catalisadores com toda a tecnologia necessária para atender a legislação no País, cumprindo as metas de emissão de NOx enquanto mantém a alta eficiência de combustível e a durabilidade. A preservação do meio ambiente também passa pelos setores agrícolas e de construção, e estamos preparados para essa contribuição”, finaliza o especialista.

Sobre a Umicore

A Umicore é um grupo de tecnologia de materiais e reciclagem. A empresa foca suas atividades em áreas de aplicação, nas quais seu conhecimento na ciência dos materiais, química e metalurgia faz a diferença. As atividades são organizadas em três grupos de negócios: Catálise, Energia e Tecnologia de Superfície e Reciclagem. Cada área é dividida em unidades de negócios direcionadas ao mercado, oferecendo materiais e soluções que estão no topo de novos desenvolvimentos tecnológicos e que são essenciais no dia a dia.  A Umicore investe a maior parte de suas receitas e dedica seus esforços de P&D para materiais de mobilidade limpa e reciclagem. O objetivo da empresa de criar valor sustentável baseia-se em sua ambição de desenvolver, produzir e reciclar materiais de forma a cumprir sua missão: “Materiais para uma vida melhor”. As operações industriais e comerciais da Umicore, assim como as atividades de P&D, estão localizadas em todo o mundo para melhor atender sua base global de clientes. O Grupo gerou uma receita de vendas de EUR 17,5 bilhões em 2019 e atualmente conta com 11.152 colaboradores.

DEIXE SEU COMENTÁRIO ABAIXO:

Publicações Relacionadas

Amapá registra em janeiro safra 7,3% superior ao mesmo período de 2017, diz IBGE

Redação Portal do Agro

Grupo Heineken lança programa de capacitação cervejeira para moradores da periferia

Redação Portal do Agro

Liberação de macrobiológicos via drone gera maior rentabilidade ao produtor

Redação Portal do Agro