Portal do Agro
Destaque Notícias

Pecuaristas são atendidos e ministério reduz dosagem da vacinação contra aftosa

O Ministério da Agricultura atendeu a uma solicitação da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e vai disponibilizar a nova vacina contra febre aftosa, em dose reduzida de 5 ml para 2 ml, na primeira etapa de imunização do rebanho, em maio deste ano.

Segundo o assessor técnico da Comissão de Bovinocultura de Corte da CNA, Ricardo Nissen, a vacina com menor dosagem reduzirá as reações (abcessos) nos animais e os impactos econômicos ao produtor rural. “Quando o animal vai para o abate, se houver alguma inflamação causada pela vacina, a parte afetada é retirada da carcaça antes de ser pesada e isso gera prejuízo ao pecuarista. A ideia da nova fórmula é que esse impacto seja zero ou o menor possível”.

Ricardo explica que o produtor perde, em média, 2 a 3 quilos de carne por animal abatido, quando as lesões provocadas pela vacinação são encontradas. “O pecuarista já possui gasto com a compra da vacina e não é ressarcido pela carne descartada”.

Em julho de 2017, a CNA assinou uma nota técnica pedindo a mudança na composição da vacina com a redução do volume da dose e a retirada da substância saponina.

De acordo com o calendário nacional, os estados brasileiros devem vacinar todo o rebanho bovino e bubalino em maio. Acre, Espírito Santo e Paraná, que aplicam apenas em animais jovens (de até 24 meses de idade), Amapá, que faz a imunização somente no segundo semestre, e Santa Catarina, livre de febre aftosa sem vacinação, são as exceções.

Retirada da vacina

Em 2018 o Brasil foi reconhecido pela Organização Mundial da Saúde Animal (OIE) como país livre de febre aftosa com vacinação. A próxima etapa é obter o status livre da doença sem a vacina.

Para isso, o Plano Nacional de Erradicação da Febre Aftosa (PNEFA) do Ministério da Agricultura dividiu o país em cinco blocos e propôs um cronograma para a retirada:

Bloco 1 (AC e RO)

– Maio de 2019 – última data para vacinação.

Bloco 2 (AM, PA, AP e RR) e Bloco 3 (todos os estados do NE, com exceção de SE e BA)

– Maio de 2020 – última data para vacinação.

Bloco 4 (BA, SE, ES, RJ, MG, SP, GO, DF, e TO) e Bloco 5 (MS, MT, PR¹, RS e SC²)

– Maio de 2021 – última data para vacinação.

¹O Ministério da Agricultura aprovou no ano passado o pedido do Paraná de antecipar para novembro de 2019 a retirada da vacinação. O estado continuará integrando o bloco 5 no PNEFA.

²Atualmente, Santa Catarina é o único estado com reconhecimento de área livre sem vacinação.

DEIXE SEU COMENTÁRIO ABAIXO:

Publicações Relacionadas

Presidente da Aprosoja-AP fala em rede nacional sobre metas para o setor no Amapá

Redação Portal do Agro

Debate sobre cabotagem reforça participação dos portos do Norte do país

Redação Portal do Agro

Rede Brasil de Jornalistas Agro é lançada durante a feira Agrishow

Cleber Barbosa

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Nós vamos assumir que você está bem com isso, mas você pode optar por sair se quiser. Aceitar Ler mais

Política de Privacidade & Cookies