Portal do Agro
Artigos Colunistas Destaque

PROBIÓTICOS, PREBIÓTICOS, ÓLEOS ESSENCIAIS E VACINAS; ONDE ESTARÁ O FUTURO DA SAÚDE ANIMAL?

A demanda mundial por proteínas de origem animal vem impulsionando produtores na busca por alternativas para o aumento na produção de alimentos. E o desempenho dos rebanhos, desafiado ano a ano, exige medidas profiláticas que permitam aos animais atingirem o seu máximo potencial zootécnico por meio da eliminação do risco de desordens que possam atrasar o seu desenvolvimento. Nesse cenário, a utilização de antibióticos na produção animal ganhou grande importância, se tornando quase que obrigatórios para a produção em larga escala.

Por outro lado, a crescente resistência bacteriana tem representado uma ameaça significativa à saúde pública e à segurança alimentar, exigindo-nos uma reflexão a respeito dos rumos que deveremos tomar em relação à utilização dos antibióticos na produção animal. De igual maneira, pressões tem forçado a busca por alternativas para a substituição dos antibióticos na produção animal, e os resultados são animadores.

A resistência aos antibióticos não é novidade, trata-se de um fenômeno natural e que inevitavelmente vai acontecer no longo prazo. Mas o uso indiscriminado desses fármacos, sem a devida orientação de um médico veterinário, acelerou muito o seu aparecimento. Sem uma utilização criteriosa, os microrganismos acabam se adaptando aos fármacos, tornam-se resistentes e podem se proliferar no ambiente, contaminando alimentos, causando infecções de difícil tratamento e colocando animais e seres humanos em risco.

Outro ponto de grande atenção é a presença de resíduos de antibióticos em produtos de origem animal, que aumenta as preocupações sobre eventuais efeitos na saúde humana, como alergias e desequilíbrios microbiológicos no organismo. Ainda há muito a ser estudado e comprovado nesse sentido, mas temos visto, ao longo do tempo, o banimento de alguns antimicrobianos para uso em animais de produção.

Mas nem só de preocupações vive a produção animal! Há muito que se comemorar, pois a busca de alternativas aos antibióticos na produção animal, que se tornou uma verdadeira obsessão para alguns grupos de pesquisa e também produtores, comprovou que a implementação de melhorias de bioseguridade e nutricionais podem reduzir sensivelmente a necessidade do uso de antibióticos. Essas descobertas são ainda mais celebradas ao passo que chegam ao mercado, com resultados compradamente eficientes, os probióticos, prebióticos e óleos essenciais, cujo uso pode reduzir e até mesmo substituir com vantagens o uso de antibióticos na produção e bem-estar animal.

Essa substituição é necessária, ao passo que muitos mercados internacionais têm restringido a entrada de produtos oriundos de produtores que mantêm o uso de determinados fármacos. A substituição dos antibióticos e a busca por produtos “antibiotic free” vêm se tornando uma verdadeira obsessão de mercados dispostos a um maior desembolso por produtos “mais seguros” para seus consumidores.

É preciso ter em mente que a substituição dos fármacos convencionais já está acontecendo e a pergunta não é “se”, mas “quando” ela será exigida por esse ou aquele mercado. E os produtores que se anteciparem e comprovarem ser “antibiotic free” terão claras vantagens competitivas.  De olho nesse grande nicho que se cria, grandes integradoras de aves, suínos e peixes estão em processo de substituição total, inserindo nesse processo também as vacinas, os marcadores moleculares e tudo mais que poder garantir a sua produtividade e a presença nos grandes mercados consumidores mundiais. Diferente da avicultura e suinocultura, que anda na vanguarda da saúde e produção animal, bovinocultura ainda caminha a passos lentos. Lentos mas firmes e constantes, e muitos pecuaristas de vanguarda já experimentam as vantagens dessas tecnologias.

DEIXE SEU COMENTÁRIO ABAIXO:

Publicações Relacionadas

TECNOSHOW COMIGO MOVIMENTA R$ 9.340 BILHÕES EM 2024

Redação Portal do Agro

Solenidade marca 10 anos do programa federal de aquisição de alimentos

Redação Portal do Agro

Amapá e Pará unem-se pelo controle sanitário animal e o combate ao furto de gado

Redação Portal do Agro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Nós vamos assumir que você está bem com isso, mas você pode optar por sair se quiser. Aceitar Ler mais

Política de Privacidade & Cookies