Portal do Agro
Leilão de área no porto de Santana poderá movimentar R$ 60 milhões | Foto: Divulgação
Destaque Notícias

Cianport e Ipiranga vencem leilão para novos investimentos privados no porto de Santana

Cleber Barbosa, da Redação

O município de Santana, de grande vocação portuária, foi incluído no pacote de leilões do Ministério da Infraestrutura para ter seu terminal portuário arrendado por um período de até 25 anos. O ministro Tarcísio Gomes de Freitas, assinou, ontem (9) oito contratos de adesão de Terminais de Uso Privado (TUPs) para ampliar a movimentação de cargas no Brasil. A iniciativa vai garantir investimentos de mais de R$ 235 milhões para as regiões Norte, Sul e Nordeste. Para o ministro, os contratos demonstram o acerto do governo na busca por parcerias com o investidor privado. “Vamos garantir um melhor abastecimento, ampliando a logística de diversas cargas em três regiões do país”, disse.

Um dos projetos aprovados é da Companhia Norte de Navegação e Portos S.A (Cianport), que assinou o contrato de adesão no Porto de Santana para a prorrogação de prazo do início de operação e alteração do cronograma físico do projeto. O perfil de cargas é de granéis sólidos e líquidos, denominado TUP (Terminal de Uso Privativo), na Ilha de Santana. O projeto está dividido em três fases, sendo a primeira a construção da infraestrutura de armazenagem, carga e descarga de grãos.

Um píer, com 300 metros de extensão, será implantado a 122 metros da margem e terá dois berços de atracação (um interno, para barcaças, outro externo, para navios). Para a armazenagem de grãos, estão previstos dois armazéns, com capacidade estática total de 180.000 toneladas.

Combustíveis 

Operações com navios de transporte de combustíveis em Santana | Foto: Arquivo CDSA

Ainda no pacote anunciado pelo Ministério da Infraestrutura, que totaliza R$ 223 milhões de investimentos, em seis contratos na região Norte, três são da empresa Ipiranga Produtos de Petróleo S.A. Em Santarém, no Pará, o contrato tem como objetivo a ampliação de capacidade de movimentação ou armazenagem da carga de granel líquido, como gasolina, diesel e etanol hidratado. Em Almerim, no Terminal de Munguba (PA), e no Terminal de Santana (AP), os contratos preveem a ampliação de área destinada a movimentação e armazenagem de granéis líquidos.

Em Manaus, no Amazonas, foram firmados contratos com a Petrobrás Distribuidora S.A para movimentação e armazenagem de granel líquido, que tem como objetivo ampliar a capacidade de movimentação para 125 mil m³. O prazo da autorização é de 25 anos. Ainda no estado, outro contrato, com a empresa Moss Serviços Portuário e Transporte LTDA, prevê a ampliação de área para movimentação de carga geral em 1.088m².

Confira vídeo com a apresentação detalhada do projeto logístico da Cianport 

DEIXE SEU COMENTÁRIO ABAIXO:

Publicações Relacionadas

Após mobilização política, ministro viaja ao Amapá para iniciar regularização de terras

Redação Portal do Agro

Primeiro vestibular rural do estado do Amapá aplica provas neste domingo

Redação Portal do Agro

Mudanças climáticas podem afetar produção de grãos, alerta pesquisador

Redação Portal do Agro